O suicídio grita.

“O SUICÍDIO grita! Nós não somos orientados para identificar os sinais, mas eles existem na maioria dos casos de morte voluntária. Às vezes, eles vêm nas palavras, são os sinais verbais de quem diz, por exemplo, que não vê mais graça na vida, que quer “terminar com tudo”. Há também alertas que se confundem com … Mais O suicídio grita.

Mulher negra

Meu cabelo é crespo. Minha pele é escura. Meu nariz é largo. Gosto de samba e feijoada. Minha família conta histórias de preconceito racial no Natal. Minha raiz é de luta, de lágrimas silenciadas, do grito de dor – dor da morte de um ente, dor da ferida aberta pelo couro nas costas, dor aguda … Mais Mulher negra

Ainda dá tempo.

Nesse processo de viagem até o meu destino, entre um trecho e outro, conheci duas meninas de 10 anos e passei cerca de meia hora perto delas. Que meia hora valiosa! Elas riam alto e compartilhavam segredos, conversavam sobre animais de estimação, sobre uma dormir na casa da outra e sobre o quanto era embaraçoso … Mais Ainda dá tempo.

Fragmentos

De repente você se encontra na rua, olhando fixamente para o nada, enquanto um pensamento atropela o outro. A verdade é que tudo realmente parecia perfeito, estava caminhando para dar certo. Você se doou, dedicou tempo, amou. Mas infelizmente o momento trouxe nas suas asas um revés. Não, o telefone não tocou. O contratempo impediu. … Mais Fragmentos

(Des)Encontros

“Ele, mas uma vez, se prepara para o (des)encontro. Coloca a melhor camisa, passa o melhor perfume, mostra os dentes para o espelho e repassa o que tem a dizer olhando para sua própria imagem. Ali no quarto fechado não há opróbrios; ele imagina a prosa, sensações, olhares, reações. E pode dizer o que quiser, … Mais (Des)Encontros